Você esta aqui
Home > Notícias > Aposentadoria: nunca é tarde para começar seu planejamento

Aposentadoria: nunca é tarde para começar seu planejamento

Entenda a importância de planejar a aposentadoria e veja como essa prática pode garantir um futuro melhor

Muita gente se pergunta: será que há uma idade ideal para começar a planejar a aposentadoria? Não há uma resposta exata a esse questionamento, pois depende de vários fatores. A principal questão envolvida nesse contexto é a realidade financeira de cada um.

O rombo nas contas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Nacional) tem crescido muito nos últimos anos. Não se sabe, então, se o órgão público garantirá o pagamento da aposentadoria a todos os indivíduos no futuro. Nesse contexto, o planejamento da aposentadoria é importante e a previdência privada surge como alternativa.

Está interessado em saber mais sobre o assunto? Neste post explicaremos como funciona a previdência privada, quais são os planos disponíveis e falaremos para que tipo de pessoa esse investimento é indicado. Confira!

Como funciona a aposentadoria privada?

Antes de explicar os planos disponíveis e falar sobre o perfil indicado de pessoas para investir o patrimônio na previdência, é importante esclarecer como funciona a aposentadoria privada.

Trata-se de um investimento no qual a pessoa destina parte do seu patrimônio e que apresentará rentabilidade. Ele terá ganhos anuais, sob a forma de juros e, futuramente, o indivíduo poderá fazer o resgate de forma parcelada (como se fosse um salário mensal) ou resgatar todo o valor aportado no plano.

Vale destacar, porém, que a rentabilidade varia conforme cada plano. Há fundos nos quais predominam os investimentos de renda fixa (são aqueles em que o investidor sabe o quanto ganhará no fim da aplicação financeira) e outros que predominam os aportes em renda variável. Este é mais arriscado, porém pode apresentar uma rentabilidade maior.

Quais são os planos disponíveis?

Existem dois tipos de plano de previdência privada disponíveis no mercado. Cada categoria apresenta suas características próprias e destina-se a um perfil específico de indivíduo. Por isso, na sequência do post, abordaremos detalhadamente sobre os planos existentes. Continue lendo!

VGBL

O Vida Gerador de Benefícios Livres (VGBL) funciona de forma parecida com um seguro de vida. Isso porque, nos casos de morte ou invalidez do titular do plano, quem for dependente terá, de forma imediata, o direito de contar com o saldo acumulado no plano.

Além disso, em alguns estados não há a cobrança do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD) aos indivíduos que contam com um plano VGBL. Esse tributo incide nos casos de transmissão de bens por causa mortis (causa de morte) ou nas situações em que há transmissão de bens por doação. Por causa dessas características, podemos afirmar que esse plano é extremamente vantajoso aos indivíduos que desejam fazer o planejamento sucessório.

PGBL

O Plano Gerador de Benefícios Livres (PGBL) oferece a vantagem de poder abater até 12% da renda bruta anual na declaração do Imposto de Renda (IR) do próximo ano. Caso tenha, por exemplo, uma renda anual de R$ 300 mil, sofreria uma retenção de 27,5% no IR (equivale a R$ 82,5 mil). Por outro lado, caso aplique R$ 36 mil (12% de R$ 300 mil) em um PGBL, será possível receber a restituição de 27,5% da quantia aplicada no investimento.

Dessa forma, no ano seguinte, o abatimento será de R$ 9.900 (27,5% de R$ 36 mil). Além disso, vale destacar que o indivíduo só pagará o tributo no momento do resgate. Dessa maneira, diferentemente da maioria das aplicações financeiras, não há efeito come-cotas (o Imposto de Renda incide duas vezes por ano nos fundos de renda fixa e no Tesouro Direto). No PGBL, a pessoa pagará o tributo sobre o valor total que será resgatado.

A previdência privada é indicada para quais pessoas?

Os planos de previdência são um investimento e, como qualquer outro, há um perfil de investidor recomendado. Eles são mais indicados aos indivíduos que já têm uma reserva de emergência formada (montante equivalente a seis vezes os gastos mensais, pelo menos).

Isso porque quem não tem essa reserva precisa fazer aportes em opções de alta liquidez, ou seja, aquelas nas quais o indivíduo consegue resgatar o dinheiro imediatamente. Essa questão é extremamente importante, pois em casos de urgência (acidentes, questões de saúde, entre outras) a pessoa poderá contar com os recursos e sem o risco de capital. Isso é possível na caderneta de poupança e no Tesouro Selic (a liquidez dessa aplicação é de um dia útil).

Não há um momento ideal para começar o planejamento, mas vale a seguinte máxima: quanto antes começar, melhor. Dessa maneira, você poderá aproveitar os benefícios dos juros compostos. Primeiramente, organize suas finanças, elimine as dívidas, crie uma reserva de emergência e, na sequência, já comece a planejar sua aposentadoria.

Deixe uma resposta

Top