Risco de Mercado

2.1. O gerenciamento dos riscos de mercado e de liquidez, objetiva garantir a ader√™ncia √†s normas vigentes e minimizar os riscos de mercado e de liquidez, por meio das boas pr√°ticas de gest√£o de riscos, na forma instru√≠da nas Resolu√ß√Ķes CMN 3.464/2007 e 4.090/2012.

2.2. No gerenciamento do risco de mercado são adotados procedimentos padronizados de identificação de fatores de risco, de classificação da carteira de negociação (trading) e não negociação (banking), de mensuração do risco de mercado de estabelecimento de limites de risco, de testes de stress e de aderência do modelo de mensuração de risco (backtesting).

2.3. No gerenciamento do risco de liquidez são adotados procedimentos para identificar, avaliar, monitorar e controlar a exposição ao risco de liquidez, limite mínimo de liquidez, fluxo de caixa projetado, testes de stress e planos de contingência.

2.4. Conforme o artigo 9¬ļ da Resolu√ß√£o CMN n¬ļ 3.464/07 (Risco de Mercado) e o art. 8¬ļ da Resolu√ß√£o CMN n¬ļ 4.090/12 (Riscos de Liquidez), a cooperativa aderiu √† estrutura √ļnica de gest√£o dos riscos de mercado e de liquidez do Sicoob, centralizada no Banco Cooperativo do Brasil S.A. (Bancoob), que pode ser evidenciada em relat√≥rio dispon√≠vel no s√≠tio www.sicoob.com.br.

2.5. N√£o obstante a centraliza√ß√£o do gerenciamento do risco de mercado e de liquidez, a cooperativa possui estrutura compat√≠vel com a natureza das opera√ß√Ķes e com a complexidade dos produtos e servi√ßos oferecidos, sendo proporcional √† dimens√£o da exposi√ß√£o ao risco de mercado da entidade.

2.6. A alocação de capital é dispensada para as cooperativas enquadradas no Regime Prudencial Simples (RPS).